Amarração Amorosa: O que Não Te Contaram

Quando falamos sobre o mundo dos rituais e das energias, é absolutamente comum que as pessoas confundam conceitos. Entretanto, é importante que algumas coisas estejam claras, como por exemplo, o que é uma amarração amorosa.

Muitas vezes, por falta de conhecimento, muita gente se envolve em situações graves. Por isso, neste artigo abordaremos algumas das consequências e sintomas das chamadas amarrações. Acompanhe até o final para não se meter em nenhuma enrascada!

O que é e como funciona a amarração amorosa?

A amarração é um ritual que tem como intuito amarrar uma pessoa à outra, se valendo de todo e qualquer tipo de “ajuda” para isso. Em outras palavras, as amarrações amorosas contam com a intercessão de espíritos das trevas, os quais “cobram” por esse tipo de trabalho.

Não raro, esse tipo de ritual conta com sacrifícios de animais e exigem que quantias em dinheiro sejam desembolsadas para ter um pedido obtido. Isso porque, tudo que envolve tal prática passa pela interferência no livre arbítrio de terceiros.

Desse modo, tais entidades comprometidas com o mal, não aceitam a fé e as vibrações de amor como “pagamento”. É preciso muito mais do que isso!

Diferentemente das simpatias, que contam apenas com o auxílio de espíritos de luz, a fim de potencializar sentimentos bons que já existem, a amarração age por meio de manipulações e intervenções na autonomia do indivíduo amarrado.

Manipulação disfarçada de ritual

Há quem recorra à amarração amorosa por falta de entendimento e há quem conheça muito bem seus mecanismos e, ainda assim, deseje manipular quem “ama” por estar cego e extremamente obcecado. 

Forçar uma pessoa a nos amar é, no mínimo, desrespeitoso e humilhante. Fazendo uma analogia, podemos comparar a amarração amorosa ao estupro. Em ambos os casos temos alguém impondo sua vontade sobre a de outro indivíduo, sem seu consentimento.

Nas duas situações existe manipulação e uma espécie de desejo doentio que tenta obrigar outra pessoa a fazer aquilo que ela não quer. Ou seja, a quebra do respeito ao livre arbítrio.

Há como saber que fui amarrado(a)?

Caso você esteja preocupado(a) imaginando que pode ter sido vítima de uma amarração amorosa, saiba agora como identificar os sintomas.

Contudo, alertamos que é importante não mistificar e bitolar, achando que tudo é um sintoma. Lembre-se que as amarrações não “pegam” em 100% das vezes e em 100% das pessoas.

Obsessão e dependência

Um indício de que você pode ter sido amarrado(a) é a obsessão doentia que pode sentir, repentinamente, pelo(a) parceiro(a). Parece que mais nada e ninguém importa para você, como se fosse uma cegueira.

Além disso, você se sente desmotivado(a) a focar em seus projetos e atividades que antes te empolgavam. Você passa a se afastar de quem amava e se torna dependente de quem o amarrou.

Angústia e culpa

Outro sintoma que merece atenção é a angústia e a agonia que você carrega no peito. É como se algo estivesse te sufocando e você não conseguisse sair. 

Acompanhado de tal sensação, também há um sentimento estranho de culpa. Você se sente responsável por tudo que deu ou dá errado na relação o tempo todo. Você assume a culpa de falhas do(a) cônjuge e nem entende o por quê.

Tristeza no olhar

Por fim, fique atento(a) àquilo que as pessoas à sua volta dizem, pois elas podem estar te percebendo triste, sem brilho no olhar e cabisbaixo. Isso não costuma ser fácil de perceber pela própria pessoa amarrada.

Caso você desconfie de que caiu em uma amarração amorosa, busque a ajuda de um psicólogo. Assim, você poderá trabalhar por eliminação e identificar quais são seus traços de personalidade e o que “não é seu”.

Além disso, procure alguém em quem você possa confiar e que te indique um profissional religioso. Esse espiritualista deve tratar com seriedade e respeito sua crença, sem preconceitos, orientando e esclarecendo como você deve proceder. 

É errado fazer uma amarração amorosa?

Sim. Sem nem pestanejar! 

Além de ficar presa às entidades inferiores que prestaram o serviço, a pessoa que faz ou paga pela amarração amorosa sofre graves consequências.

Não podemos chamar isso de castigo, mas sim de Lei do Retorno: o que é plantado, é colhido! Quem se envolve com forças e energias de egrégoras negativas… não poderá ter nada de positivo retornando para sua vida.

Como se não bastasse, a sensação de culpa por estar manipulando alguém, certamente não dará paz a quem pratica a amarração.

Quem foi amarrado terá o psicológico alterado, mas não os sentimentos. Em síntese, será uma relação sem amor, baseada apenas em obsessão mental, sem carinho e sem amor genuíno.

Além disso, num primeiro momento, tudo pode parecer lindo. Porém, com o passar dos tempos as consequências surgem: brigas, traições, perturbações adversas e decadência em outras áreas da vida.

Dessa forma, quem recorre à amarração amorosa fica vulnerável às forças do mal e se torna cúmplice das entidades trevosas. Portanto, saiba diferenciar oração, simpatia, encantamento, feitiço e magia de amarração. 

Para isso, basta lembrar que diferente de tudo que citamos, as amarrações oferecem garantias, cobram dinheiro, sacrifícios e têm como objetivo manipular, prender e criar um sentimento que não existe. 

Tudo isso em nome de uma obsessão!

Paula Karina Lucena

Apaixonada pela escrita e por assuntos relacionados ao autoconhecimento, Karina encontrou na arte, espiritualidade e psicologia formas de entender seu próprio caminho e, consequentemente, auxiliar na vida de outros seres.

Paula Karina Lucena has 57 posts and counting. See all posts by Paula Karina Lucena